sexta-feira, 20 de janeiro de 2006

Breve Declaração de Voto

Conclusão transformada em intróito: no domingo votarei Cavaco Silva.

  1. Porque estou farto das doutas prelecções, das inquinadas evocações da memória colectiva, das guerrilhas pretensamente ideológicas e do implacável agrilhoamento das catalogações: esquerda, direita e centro, capitalista, conservador, liberal, reformista, socialista, comunista e as suas derivações, marxista-leninista, estalinista, maoísta, trotskista, anarquista, fascista, nacional-socialista, democrata-cristão, social-democrata, populista, republicano, monárquico, europeísta, federalista, isolacionista, situacionista, sulista, nortista, revolucionário, humanista… Chega!
  2. Porque estou cheio da apropriação ilegítima e da arrogação moral exclusivista da defesa dos valores sociais, da democracia, da melhoria das condições de vida dos mais desfavorecidos, da repartição equitativa da riqueza criada – note-se que repartição equitativa não é uma simples operação aritmética de soma da riqueza criada, simplesmente dividida por um conjunto de indivíduos que compõem a população; significa repartir por aqueles que trabalham e que contribuem para a criação de riqueza; não é o fomento ao ócio do preguiçoso que recebe o rendimento mínimo ou às casas de chuto que disfarçam mas não curam.
  3. Porque não me revejo num discurso redondo, vago de ideias de um excepcional poeta e escritor que não sabe e não compreende as questões práticas do exercício do poder político; na obsessão revanchista de um megalómano que se julga o guardião da moral de uma nação; de um indivíduo que ainda se serve da foice e do martelo para chamar fascista a quem não defende as suas ideias que morreram definitivamente a 9 de Novembro de 1989; de um franco-atirador que utiliza um discurso desenfreado e profundamente demagógico, qual picareta falante – e aqui não me refiro à famosa picareta de Mercader –, para se fazer passar pelo Santo Padre da justiça social.
  4. Porque na realidade precisamos em Belém de alguém que perceba de finanças e de economia, que seja um árbitro no delírio de produção legislativa que agrilhoa, de forma irremediável, uma economia ao subdesenvolvimento.

Estas são as principais razões que traçam o destino do meu voto!

3 comentários:

chuta po tecto disse...

São igualmente as minhas para VOTAR CAVACO SILVA.

Por um Futuro menos ambíguo e corrupto.

PS: São também as razões para toda a família, cá da casa e não só, VOTAR CAVACO SILVA

a.leitao disse...

Também voto CAVACO SILVA por todas as razões enunciadas e muitas mais.

o-sniper-da-gandra disse...

Espero bem que o tempo não venha a dar-me razão, mas este Cavaco tem vindo a preparar de forma cuidadosa e sustentada o tal "sonho" de Sá Carneiro. Acontece que não estamos em época de novas eleições legislativas. É que esta, meu caro, é a última oportunidade de receber os gordos dinheiros da União Europeia (2007/2013). Depois, fecha-se a torneira. E se bem te lembras, o senhor Silva (onde é que já ouvi isto?) arrebanhou milhares de pessoas para a função pública, além de outras proezas. Ele é o pai do monstro. Espero estar enganado, mas teremos eleições em breve, com tudo o que isso implica. Seja feita a vontade.