sexta-feira, 21 de abril de 2006

Anda Pacheco! [actualização encerrada às 16:15 - 22/04]

A blogosfera não possui um código deontológico para os seus utilizadores. «Ainda bem!», digo eu.
E,
O que é um blogue?
Não sei! Só sei que reveste a forma de uma página em linguagem HTML disponível ao público, na qual o(s) autor(es) expõe(m) os seus textos para serem lidos, muitas vezes narcísicos e sobranceiros – leia-se pequena dissertação de cunho fortemente idiossincrático –, normalmente numa base diária, derivando da palavra anglo-sáxonica weblog, ou seja, diário de bordo na rede.

Cada autor é como é!
Uns disponibilizam caixa de comentários, outros não!
Uns escrevem com o tipo de letra Georgia, tamanho 10, com avanço de parágrafo de 5 mm e espaçamento simples, outros não!
Uns põem florezinhas e cãezinhos, o Bart Simpson e a Miss Piggy, outros não!
Uns escrevem sobre futebol, outros não – e ridicularizam-nos (por favor, voltar a ler à 5.ª e 6.ª linhas deste texto)!
Uns acordam de manhã muito cedinho e, ainda com a próstata envasada que incita o desabrochar de uma pequena intumescência peniana, postam um poemazinho, outros dormem ou trabalham sem vergonha!

E poderia continuar a enumerar uma série de diferenças entre práticas e estilos. Ora, é precisamente nessa diferença que reside a beleza deste pequeno mundo que, para muitos, sem os meios necessários para atingir as luzes da ribalta, assume o carácter de transcendência!

Um blogue com caixa de comentários é, por definição, um espaço livre e democrático pela imanente característica da interactividade. Não quero com isto dizer que os outros não o sejam. São critérios!
Por exemplo, os meus mui visitados blogues
Babugem, Bombyx Mori e Da Literatura não dispõem de caixas de comentários, porém os seus autores não se sentem melindrados com esse facto. Quem quiser interagir que envie uma mensagem de correio electrónico para o endereço postado no respectivo blogue.
Já no caso do
Abrupto, o seu autor, José Pacheco Pereira, faz a chamada triagem no escurinho do cinema. É um blogue sem comentários, mas com comentadores eleitos pelo autor num critério obscuro. Nessa matéria, é um blogue do não é carne, nem é peixe; é nim, já que se veda a hipótese do comentário em linha, mas publicam-se os comentários privativos que mediante um critério meramente pessoal, passam a públicos.
Já nem discuto a questão – essa sim, ética – da necessária autorização prévia dos seus autores para a sua publicação. Porém, posso discutir – porque sou um homem livre, que vive num regime democrático – ou apreciar o critério, e até com ele efectuar um pequeno exercício especulativo: Será que apenas se publicam os que são laudatórios? Ou aqueles que são redigidos pela nata de uma determinada horda com preestabelecidos pedigree, graus de intelectualidade ou de abstracção? Ou aqueles que não usam advérbios de modo, nem travessões em vez de parêntesis? Ou aqueles que não utilizam a merda de um palavrão?

Parece-me que
JPP tenta justificar-se, atacando tudo e todos – como é seu apanágio quando discorda –, perante a não inclusão no seu blogue de uma caixa de comentários.

Quem está mal muda-se!
Falando apenas em meu nome, suponho que já não tenho idade e pachorra suficientes para ter de ler, ver ou ouvir as directrizes de uma putativa autoridade moral da blogosfera que, ademais dos mandamentos – que depois deixaram de o ser –, recorrentemente dá uns puxões de orelhas a quem mija fora do seu exíguo penico de pendor normativo.
Mais grave, o arauto e paladino do movimento anti-anónimos lança o libelo num jornal de tiragem nacional, coisa que 99,9% da população portuguesa jamais pensou, ou melhor, poderá fazer.

Respostas a este artigo na caixa de comentários, que, e adianto-me já, só pode ser usada por quem estiver registado no
Blogger. Este critério foi utilizado para evitar os famosos comentários com publicidade – verdade seja dita, ainda assim vão aparecendo. Todavia, o registo é simples, curto e gratuito.

A ler [actualização encerrada com chave de ouro, termina com 2 textos* das visadas pelo panfleto, Zazie e Sabine]:

Nota: *Via este texto do Afonso, publicado no Bombyx Mori.

6 comentários:

rute disse...

Your blog is really nice. Why don't you visit mine: http://kissmyS.blogspot.com

Ainda estou para saber se amanhã vens ver o jogo lá a casa!

Pedro Correia disse...

Um excelente texto, proporcionado pela sempre estimulante prosa do Pacheco. Um dia destes meto-me no tema também. Abraço

Pedro Correia disse...

Faltou-me acrescentar (embora estivesse implícito) que estou de acordo no essencial.

AMC disse...

Obrigado, Pedro!
Lá esperarei pelo texto prometido.
Um abraço,
André

Afonso Bivar disse...

Não tenho comentários porque o template que uso traz por defeito um sistema de comentários que permite a fraude. Associar um nome a um blogue sem qualquer controle terceiro. Além disso, houve aquele episódio da presumível morte de uma blogger que o JPP relembra, episódio que me deu a volta ao estômago - refiro-me ao absurdo (para não utilizar outro termo) da sequência de comentários ao derradeiro texto publicado. Enfim, isto tudo para dizer que não tomei posição "convicta" sobre o assunto.

AMC disse...

Caro Afonso,
Eu não o critiquei pelo facto do Bombyx não dispor de caixa de comentários, bem pelo contrário! Mencionei o Bombyx, o Babugem e o Da Literatura como blogues exemplares que não dispõem de comentários - critério eminentemente pessoal - e que não se aproveitam para expor os comentários recebidos por e-mail de acordo com um critério que ninguém entende.
Um grande abraço,
André