segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Insisto [actualizado]

Para o João Tordo* e o meu amigo Pedro Correia, "Estranha Forma de Solidariedade", (talvez te saia em sorte o Pedro Henriques no já muito próximo derby lisboeta, ou estás esquecido da boa arbitragem do Sr. Major contra o teu clube, na vizinhança da escandaleira do Duarte Gomes na Reboleira que eliminou o Estrela da Taça da Liga no descontos?), deixo ficar este vídeo para re-baptismo de assuntos futebolísticos neste blogue, depois de uma promessa que fiz há uns tempos (apenas e só falar do meu clube e da sua gestão):

(ver vídeo no YouTube)

*Um bom argumento para que, desta vez, se produza um bom filme, seria o EstorilGate de 2004/2005. O maior escândalo que, com os meus já respeitáveis 36 anos, pude assistir no futebol português.

Nota: Em faltas para grande penalidade não se aplica a "lei da vantagem". Proença errou, mas disso não convém falar. O resultado estava 0-0 e o Reyes trava a progressão do Lucho.
Essa visão monocular clubítica irrita-me profundamente.


(ver vídeo no YouTube)

(ver vídeo no YouTube)

[adenda, dia 10/Fev, às 12h06m]: (C.E.) Proença condensado e verificado, em lides comentadeiras – eu, ainda não havia visto as imagens dos casos do jogo, à excepção do pretenso penalty do Lisandro repetido até à náusea pelo Rui Santos no "Hora Extra" – no programa “O Dia Seguinte” na SIC-Notícias, e assumo agora a função de contra-queixinhas (4 incidências de relevo, 1 erro técnico e 3 de avaliação):

  • 19 min. – Lucho é travado por Reyes dentro da grande área do Benfica, cai e continua o lance, com passe para Fucile que, à entrada da área, remata por cima da baliza. Nem que Fucile houvesse marcado golo, a falta de Reyes sobre Lucho teria de ser marcada, porque dentro da área jamais se aplica a “lei da vantagem”. Segundo os regulamentos, uma falta na grande área cometida sobre um jogador da equipa que ataca é penalty. Erro técnico grave e não de avaliação subjectiva – resultado na altura 0-0;
  • 28 min. – Sidnei, considerado como herói na imprensa desportiva de hoje, pisa ostensivamente Lucho (a bola há muito que lá não estava), deitando o jogador portista por terra (o tal que com fair-play, nove minutos antes não se atirou para o chão na grande área). Cartão vermelho e consequente expulsão (erro de avaliação) – o Benfica passaria a jogar com apenas 10 jogadores durante mais de 1 hora de jogo – resultado na altura 0-0;
  • 79 min. – Por compensação, por ter visto mal o lance, por dolo ou pela re-admissão do Cardeal Nazi no seio da Igreja Católica pelo Papa Ratzinger, Proença assinalou mal o penalty (erro de avaliação) pretensamente cometido por Yebda sobre Lisandro López – convém salientar que todos os jornalistas, comentadores e narradores do jogo (rádios e televisão) afirmaram, sem repetições e no momento exacto do lance, que Yebda havia cometido penalty – o resultado na altura era de 0-1, que passou a 1-1 pela conversão da grande penalidade;
  • 94 min. – David Luiz, sem bola, atinge com os pitões da sua bota as pernas de Fucile e com o cotovelo atinge-o no pescoço, não só ficou por mostrar o cartão vermelho ao jogador benfiquista, como Proença interpretou a falta ao contrário e exibiu o cartão amarelo ao jogador portista (que por acumulação não jogará no próximo jogo), engendrou um livre directo perigoso e inexistente junto da área portista (erros de avaliação), convertido por Carlos Martins e defendido com extrema dificuldade por Helton, dadas a potência e a colocação do remate – fim do jogo, 1-1 resultado final.
    (Q.E.D.)

7 comentários:

Joao Tordo disse...

André: toda a visão clubítica é monocular! abraços do teu amigo lisboeta. O futebol, no fundo, é uma grande treta...

np disse...

Pelo seu prisma dos 28 e 94 min., esqueceu-se que o Fucile quase arrancava a cabeça a um jogador do Benfica, penso que o Aimar, mas como fiz desporto e sei ver as coisas até concedo que o rapaz não fez de propósito, tal como a pisadela no joelho do Katsuranis. Assim, como é que tem a certeza que os lances dos jogadores do Benfica foram com propósito e não tem para os seus.

AMC disse...

Tens toda a razão, meu caro João. Por isso é que deixei de falar de futebol aqui no meu blogue. Foi uma promessa que fiz a mim mesmo. Só falaria de futebol quando fosse para criticar os erros de gestão da SAD do meu FCP e no Jesualdo.
No hard feelings.
Um abraço,
André

AMC disse...

Limito-me a comentar as imagens que passaram no "Dia Seguinte" da SIC-Notícias. Eu não vi o jogo. E ninguém, nem o F. Seara falou desse lances.

AMC disse...

Mas alguém disse que houve propósito, intenção de lesionar e de arrumar com um jogador do meu clube. Houve, sim, conduta violenta, que é punida com o cartão vermelho pelas leis do futebol.
No calor da refrega muitas vezes cometem-se loucuras das quais nos arrependemos no segundo seguinte.

Joao Tordo disse...

Deixa lá, que o meu comentário de ontem no Corta-Fitas valeu-me uma bela dor de cabeça (emails, comentários, insultos...) - como diz o nome do teu blogue, nunca mais!
abralos

np disse...

Espero não ter feito doer a cabeça a ninguém, muito menos insultado e as certezas são como os nunca mais, sempre falaciosos :)
O facto de eu tentar saber ver as coisas não quer dizer que os outros não saibam ou tentem também, mas como pelos vistos não viu mesmo, por mim está tudo bem.
Veja o jogo e se ficar satisfeito com a exibição do seu clube melhor