domingo, 2 de dezembro de 2007

Facto

Domingo. Uma liturgia. Deambulo pela blogosfera sem destino, sentindo que por aqui se abateu a penúria de escrevente, mesmo de um leve resquício de pulsão criativa que pudesse encher de confiança um ego macerado: já não consigo auto-iludir-me.
Uma reminiscência, no entanto, batia ao de leve nesse campo neuronal devastado. 2 de Dezembro de 2006
É verdade, há um ano iniciava-se a minha peregrinação contumaz pela blogosfera, um ano depois da diletante e sublimada estreia moura-e-cunhiana com o
Porque17 de Dezembro de 2005.
Li algures que o cansaço não é a causa mas o efeito da falta de criatividade e de originalidade. Concordo. Sem vestígios, asseguro-vos, de uma pretendida autoflagelação pública: estou cansado, e não sei aonde me levará este cansaço. Sei que, infelizmente, vai atravessando muitos instantes da minha existência.
Mais um ano...

4 comentários:

Lutz disse...

Continua, André. Vale a pena. Como dizia o Walter Benjamin, quando a inspiração falha, é preciso continuar a escrever até que ela volte.
Já agora: Parabéns pelo aniversário!

cj disse...

Isso de ser Domingo ajuda muito...

Carlos Araújo Alves disse...

Parabéns e força para prosseguir. Esse cansaço..., deve mesmo ser de ter sido Domingo.

Abraço

Cãocompulgas disse...

Desistir?! Às vezes, muitas até, apetece desistir, deixar cair os braços e voltar costas. As perdas, as decepções, todas as mágoas que vamos tendo levam-nos a uma tristeza que nos rouba a tranquilidade, a criatividade, o gosto. Mas, na verdade, pese embora muito, estamos vivos e haver um só "amigo" blogosférico que nos visite faz a diferença, dá cor a um dia mais triste e a sua ausência sente-se. Vá lá, André, escreva nem que seja um só olá. Nós vamos saber que está aí e que podemos contar consigo. O que são os blogues senão umas horas solitárias escritas e publicadas?

Beijinho,

Fátima