sábado, 9 de dezembro de 2006

O Grande Português

A avaliar pelo vibrante silêncio sobre a lista dos mais votados no programa “Os Grandes Portugueses”, conduzido por Maria Elisa, António de Oliveira Salazar venceu mesmo a primeira votação.
Só me espanta o súbito emudecimento do canal público e da usualmente palradora Maria Elisa. Se de facto o vencedor foi Salazar, a não divulgação da lista presta-lhe um inestimável tributo ao usar um dos instrumentos que notabilizou o período de governação do Botas: a censura.
Um país que vive mal com as suas memórias – com gritantes antecedentes, como, por exemplo, a mudança da bandeira em 1910 e o rebaptismo da Ponte Salazar em 1974 – não é um país sério, e jamais pode ser levado a sério.

Enfim! Resta-nos verificar os vencedores nos outros países em que se realizou o dito programa:

  • África do Sul – Nelson Mandela (1918-)
  • Alemanha – Konrad Adenauer (1876-1967)
  • Bélgica (Flandres) – Padre Damião (De Veuster) (1840-1889)
  • Bélgica (Valónia) – Jacques Brel (1929-1978)
  • Canadá – Tommy Clement Douglas (1904-1986)
  • Estados Unidos – Ronald Reagan (1911-2004)
  • Finlândia – Carl Gustaf Emil Mannerheim (1867-1951)
  • França – Charles De Gaulle (1890-1970)
  • Holanda – Pim Fortuyn (1948-2002)
  • Reino Unido – Winston Churchill (1874-1965)
  • República Checa – Carlos VI (Carlos I da Boémia) (1316-1378)
  • Roménia – Estêvão III, O Grande (1437-1504)

2 comentários:

Lutz disse...

«Holanda – Pim Fortuyn»
Estás a brincar!

AMC disse...

É verdade! Venceu o pai da pátria Guilherme de Orange (2.º), Erasmo de Roterdão (5.º), Anne Frank (8.ª), Rembrandt (9.º) e Van Gogh (10.º). Por exemplo, Espinoza foi o 21.º classificado.
Ver aqui.