segunda-feira, 26 de dezembro de 2005

Será a ressaca natalícia de um laico?

Creio que já todos nós ouvimos a desresponsabilizadora expressão “temos os líderes que merecemos!”. O mais curioso é que, comummente, essa asserção é aproveitada por alguns enfatuados que cresceram e se desenvolveram no meio político e que após a chegada da almejada fama logo a deixaram, sacudindo a água do capote, vilipendiando todos aqueles que se possam assemelhar com essa forma inumana de serviço público.
Depois temos os profissionais do comentário político – a quem muitos já atribuem, de forma pomposa, o título de politólogo – que procedem, com um zelo inexcedível, à materialização dessa asserção, vincando-a com laivos de conhecimento literário.
Como exemplo desta última estirpe veja-se o que diz a inenarrável – simpático eufemismo, não? – Clara Ferreira Alves na sua crónica cibernética.
(A propósito: e o Graham Greene?)
Via o André d'O Insurgente tomei conhecimento disto. Juntado isto com o panfleto da Clarinha, será que ela merece ter um PR obstinado, incongruente e senil?

1 comentário:

a.leitao disse...

"Cão que ferra a mão do dono que lhe dá de comer..."

Isto é a representação canina da intelectualidade rasca existente por aí. Só existem porque há quem trabalhe e faça coisas.

São os novos párias Sociais!