sexta-feira, 18 de maio de 2007

Os Melhores de Sempre

Vai interessante e assaz didáctica esta musical troca de galhardetes – no bom sentido – entre o Henrique e o Lourenço.
Porém, permitam-me discordar, quais Jagger & Richards, Lennon & McCartney, talvez só Cale, Reed & Companhia!
Eis os melhores de sempre (posição irredutível e que me acompanhará até ao último suspiro):



1976-1980, primeiro como Warsaw, depois como Joy Division

I wish I were a Warhol silk screen
Hanging on the wall
Or little Joe or maybe Lou
I’d love to be them all
All New York city’s broken hearts
And secrets would be mine
I’d put you on a movie reel
And that would be just fine

Ian Curtis (1956-1980), St Valentine’s Day poem from Ian to Debbie (1973)*

*poema de Ian Curtis (contava 16 anos) retirado da pág. 13 do livro de Deborah Curtis, Carícias Distantes: Ian Curtis e Joy Division (c/ prefácio de Jon Savage). Lisboa: Assírio & Alvim, 1.ª edição, Março de 1996, 197 pp. (tradução de Ana Cristina Ferrão; obra original: Touching from Distance: Ian Curtis and Joy Division, 1995).
Nota: Hoje, na 60.ª edição do Festival de Cinema de Cannes, o filme Control do realizador holandês Anton Corbijn, baseado na curta vida do mágico atormentado Ian Curtis, foi aplaudido de pé por uma plateia em êxtase.

4 comentários:

manuel a. domingos disse...

embora o meu grupo favorito (e os melhores) sejam os The Cure, é-me muito difícil não acompanhar-te nesta tua opinião

Eduardo Barrento disse...

hehe, acho essas polémicas um pouco vãs (sem ofensas, claro!) eu cá não tenho banda favorita, mas uma série delas que não dispenso. Escolher uma só, acho muito redutor!

AMC disse...

Manuel,
É um fascínio que me acompanha assim que os conheci, já Ian se tinha ido embora. E talvez por isso o surgimento de parte do fascínio...
Eduardo,
Tens toda a razão. Aliás quando escrevia o texto para acompanhar o vídeo dei-me conta disso mesmo: conseguia pensar em mais 4, 5 ou 6 nomes para o ex-aequo. O texto apenas surgiu como reacção, para estabelecer um contraponto, daí a radicalidade...
Abraços a ambos.

Dromedário disse...

Sem dúvida a banda mais poderosa de sempre.