domingo, 18 de novembro de 2007

Cadeias em Girassol*

Uma benigna epidemia – e perdoem-me a antonímia – tem varrido a blogosfera lusa nos últimos tempos: as correntes ou cadeias sobre os mais diversos assuntos.

Corrente I
O José Pimentel Teixeira iniciou
esta curiosa corrente, cujas posteriores derivações metabloguistas lhe trouxeram o aviltante saneamento de um conhecido top of the pops nacional. Citado o pai da corrente, o Francisco Valente desafiou-me para postar os vinte blogues que mais gente trazem ao meu blogue. Ora, dada a profusão de instrumentos de medição peniana na blogosfera, a tarefa de arrolamento não se revelou nada difícil. Assim, por ordem alfabética e recorrendo aos tais meios do metabloguismo, aqui estão os blogues que, carregados do mais alto valor da reciprocidade – um dos por que vale mesmo a pena blogar –, encaminham o maior número de visitantes para esta página, de estabilidade precária e de qualidade duvidosa – não houve alguém que disse que a humildade era o pior dos orgulhos? – de expiação e catarse:
O Acossado, Água Lisa, Auto-Retrato, Comboio Azul, Corta-Fitas, Da Literatura, Eduardo Barrento, Hoje Há Conquilhas…, Insónia, Irmaolucia, Last Breath, Meia-Noite Todo o Dia, Mundo Pessoa, O Nascer do Sol, Portugal dos Pequeninos, Quase em Português, O Regabofe, Textualino (ex-Casa do Sono dos Sonhos), Tubo de Ensaio, Vida Breve.

Segundo as regras, todos os nomeados terão de trabalhar na sua lista de angariadores de visitantes.

Corrente II
O Lourenço
encadeou-me. Incluiu-me numa das correntes mais difíceis que tive de enfrentar ou de “não quebrar”: solicitou-me que aqui postasse os cinco filmes da minha vida.
Felizmente, há, pelo menos, um conjunto de meia centena de filmes que poderia, sem menosprezo para os restantes quarenta e cinco relegados para outras posições, integrar a referida lista. Ora, se assumirmos essa totalidade como certa e dado que apenas cinco integrarão o quadro final, um simples recurso ao cálculo combinatório anunciaria a possibilidade de aqui postar 2.118.760 listas diferentes entre si.
Como resultado dessa enormidade numérica, decidi escolher – tal como uma vez fiz com os dez livros da minha vida – os primeiros filmes que me surgiram ao pensamento, sem que me atribuísse qualquer hipótese de remição – poema automático*.
Ei-la (por ordem alfabética do título em português):

  • O Crepúsculo dos Deuses, realizado por Billy Wilder (Sunset Boulevard, 1950);
  • Os Despojos do Dia, realizado por James Ivory (The Remains of the Day, 1993) – baseado no romance homónimo de Kazuo Ishiguro (1989);
  • Magnólia, realizado por Paul Thomas Anderson (Magnolia, 1999);
  • Morte em Veneza, realizado por Luchino Visconti (Death in Venice, 1971) – baseado no romance Der Tod in Venedig (1912) de Thomas Mann;
  • A mulher que viveu duas vezes, realizado por Alfred Hitchcock (Vertigo, 1958) – baseado no romance policial D’entre les morts (1954) escrito pela dupla Pierre Boileau e Thomas Narcejac.

Com um sorriso chocarreiro nos lábios – como é um sorriso chocarreiro? A que sabem as nuvens? – acorrento:

  • Eduardo Pitta (por saber que, para além de ser um amante das artes cinematográficas, ultimamente, tem andado extremamente divertido com as correntes na blogosfera);
  • Francisco Valente (por vingança, mas principalmente por saber que o Fransciso é um dos excelsos cinéfilos da blogosfera, e para descobrir que outros filmes acompanharão o 8 ½ );
  • João Gaspar (o meu co-joydivisioniano, gesto imbuído da devida curiosidade sobre a inclusão ou não do filme do recente filme Corbijn);
  • manuel a. domingos (um querido amigo invisível e, depois, já se tornou um hábito o Manel ser vítima do meu zelo lincativo nisto das correntes);
  • Pedro Correia (pela leitura dos teus textos já adivinho, mas não te escapas ao desafio, é só para confirmar).

Continuai e acorrentai, irmãos.

Nota: *título de um poema de André Breton (Tournesol, escrito em 1923): «La voyageuse qui traverse les Halles à la tombée de l'été / …»

5 comentários:

manuel a. domingos disse...

:-) reponderei em breve

João Gaspar disse...

Responderei em breve, aussi, meu caro. Ou assim espero.

No que ao Control diz respeito, estou de momento num dos distritos errados do país. Espero regressar a Lisboa ainda esta semana e, ultrapassada a impossibilidade geográfica, vê-lo. Estou ansiosíssimo e espero que não desiluda.

Francisco Valente disse...

Eu já respondi, tinha sido desafiado há tempos pelo Phantom Limb, a lista está aqui - http://oacossado.blogspot.com/2007/11/lista.html#links

manuel a. domingos disse...

já tá

AMC disse...

Cá esperarei, João.
Francisco, já via a tua nobre lista e, está claro, não me enganei no 8 1/2...