quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Património

Finalmente, emerge do lodaçal dos livros de auto-ajuda, dos romances históricos, da resma de livros sobre Salazar e D. Carlos, a edição portuguesa do aclamado livro de memórias de Philip Roth sobre as doença e morte de seu pai, Herman Roth.


[capa da 1.ª edição americana; vencedor do National Book Critics Circle Award em 1991 na categoria de Biografia; em Portugal será publicado pela Dom Quixote.]

2 comentários:

Jonas Lopes disse...

Esse livro é magnífico - e também muito doloroso. Quase um prenúncio do Everyman.

AMC disse...

Ainda não o li. Situação que irei ver resolvida em breve.
Não duvido da sua grandeza.