segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

BAFTA 2008


Eis os prémios da British Academy of Film and Television Arts (BAFTA) de 2008, acabadinhos de entregar na London’s Royal Opera House (na imagem, o grande vencedor da noite):

4 Prémios
La Vie en Rose / La Môme (de Olivier Dahan)

Actriz – Marion Cotillard
Caracterização
Guarda-Roupa
Música (BSO – Anthony Asquith Award) – Christopher Gunning

3 Prémios
Este País Não É para Velhos / No Country for Old Men (de Joel e Ethan Coen)

Actor Secundário – Javier Bardem
Fotografia
Realização (David Lean Award) – Joel e Ethan Coen

2 Prémios
Expiação / Atonement (de Joe Wright)

Filme
Planeamento de Produção

Ultimato / The Bourne Ultimatum (de Paul Greengrass)
Montagem
Som

1 Prémio
A Bússola dourada / The Golden Compass (de Chris Weitz)

Efeitos Especiais

Control (de Anton Corbijn)
Revelação/Estreia (Carl Foreman Award) – Matt Greenhalgh (argumentista)

O Escafandro e a Borboleta / Le scaphandre et le papillon (de Julian Schnabel)
Argumento Adaptado – Ronald Harwood

Haverá Sangue / There Will Be Blood (de Paul Thomas Anderson)
Actor – Daniel Day-Lewis

Juno (de Jason Reitman)
Argumento Original – Diablo Cody

Michael Clayton – Uma Questão de Consciência / Michael Clayton (de Tony Gilroy)
Actriz Secundária – Tilda Swinton

Ratatui / Ratatouille (de Brad Bird)
Filme de Animação

This is England (de Shane Meadows)
Filme Britânico (Alexander Korda Award)

As Vidas dos Outros / Das Leben der Anderen (de Florian Henckel von Donnersmarck)
Filme em Língua Não-Inglesa

3 comentários:

Fernando Vasconcelos disse...

Vi o grande vencedor. Em grande parte porque sou um fã de Edith Piaf (e de outros cantores de expressão françesa como Brel, Brassens, Ferré, Ferrat, ... ). Gostei do filme, acho que conseguiu não sucumbir à tentação da simples imortalização e parece-me bastante revelador da fragilidade da personagem. A Marion Cotillard faz um papel que me deixou absolutamente siderado. A música - bem é Piaf - que mais há a dizer? A forma como a história é contada também é interessante. Acho que o filme mereceria mais do que um prémio de interpretação e três de categorias técnicas mas admito que a minha opinião não seja relevante e será de certeza pouco independente :-)

luís disse...

Eu, pelo contrário, achei que o filme caiu em muitas das armadilhas nas quais os biopics habitualmente caem, em termos de argumento. Mas acabou por compensar com a parte técnica e, especialmente, com a grande interpretação da Marion Cotillard. Acho bem que ela tenha ganho vários prémios porque, embora não tenha visto as actrizes que têm competido com ela, duvido que estejam tão bem, que carreguem o seu filme como ela em La Mome.

AMC disse...

Caros Fernando e Luís,
Infelizmente, ainda não vi o filme - suponho que agora só o verei em DVD.
No entanto, gosto da música de Piaf e estou curioso para ver o retrato dela espartilhado em filme... e logo ela, que teve uma vida em cheio.
Abraços