segunda-feira, 3 de julho de 2006

Dois anos de A Arte da Fuga

Parece que se iniciou mais um período de aniversários de blogues que se foram constituindo como minhas referências na blogosfera.

Ontem, o blogue
A Arte da Fuga perfez dois anos de Contrapontos liberais e de Fugas de direita.

Parabéns, ao António e ao Adolfo!

Em jeito de presente – um pouco forreta, é certo! – aqui fica
um excerto (1 minuto, via Amazon.com) do Contraponto n.º 9, interpretado pelo virtuoso Glenn Gould ao piano (gravado em 1967), de A Arte da Fuga (BWV 1080) de Johann Sebastian Bach.

Nota: ouvir, no A Arte da Fuga, esta arrepiante versão de Summertime de George Gershwin, com Ella Fitzgerald e Louis Armstrong (voz e trompete).

3 comentários:

AMN disse...

Grande André, muito obrigado pelas palavras e pelo presente, que muito se aprecia!
Um abraço,
a.

AA disse...

Caro AMC,

Muito obrigado! :)

Sabe-se lá porquê (atenção: faceta nerd do AA a mostrar a sua caratonha feia), ao ler o "Bela Lugosi is Dead" (Bauhaus, ok) lembrei-me não do "James Brown is Dead" mas do "Ave Satani" que reapareceu no remake do "The Omen". Vou guardar essa inspiração para um dia que queira escandalizar o AMN :)

Um abraço,

amc disse...

O "Ave Satani" foi responsável por algumas noites mal dormidas, quando Gregory Peck e depois William Holden andaram às voltas com o seu diabólico filho Damien no final dos anos 70.
É um excelente score do recentemente falecido, mestre das BSO's, Jerry Goldsmith.
Quanto ao "Rei Vampiro" (Peter Murphy) também acompanhou as minhas infância e adolescência. Bela Lugosi's Dead é uma de muitas das minhas favoritas dos Bauhaus.
Um abraço